Para receber o auxílio alimentação do Governo do Estado durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os estudantes da rede estadual de ensino devem ter cadastrado o CPF no ato da matrícula. Quem informou o documento do responsável também já está apto para receber o vale-alimentação. Os alunos que não informaram o número do documento devem entrar em contato com a escola para regularizar a situação, informou o governador Rui Costa no Papo Correria desta terça-feira (14).

Ao todo, cerca de 800 mil estudantes vão receber o auxílio. Destes, apenas 579 mil cadastraram o CPF ao realizarem a matrícula. “Todos os alunos terão acesso ao auxílio, quem não colocou o CPF na matrícula precisa ligar para a escola para informar o nome e o número do documento”, afirmou o governador.

Na live, Rui explicou que as escolas estão funcionando desde a última segunda-feira (13) para atender os telefonemas. As unidades de ensino também ligam para os estudantes que informaram um telefone de contato e precisam completar o cadastro. “Estamos montando uma equipe de telemarketing da Secretaria de Educação para ligar para os alunos para pegar o numero do CPF”, disse o gestor estadual.

Para atualizar as informações, também é possível entrar em contato com a escola por meio do WhatsApp. Outra opção é atualizar o cadastro pela internet, no Portal da Educação ou direto no link do SIADIANTE

Todos os alunos da rede estadual vão receber o auxílio, mesmo aqueles que já integram programas governamentais. Estudantes de escolas técnicas também têm direito ao vale refeição. 

O Governo da Bahia ainda estuda as formas para conceder o auxílio aos estudantes. De acordo com o governador, o estado negocia um contrato com quatro de redes de supermercado para que o estudante possa comprar os itens alimentícios diretamente nestes estabelecimentos mediante a apresentação do documento de identificação. “São redes que atuam em várias cidades da Bahia. Junto com as Secretarias da Fazenda e da Educação, estou trabalhando para viabilizar esse contrato e, quem sabe, amanhã já ter o contrato para atender os alunos que moram nas cidades que possuem esses supermercados ainda nesta semana”, relatou o governador.

A intenção é permitir que os estudantes que já tem o CPF cadastrado e moram em cidades atendidas por uma dessas 4 redes de supermercados possam comprar os alimentos até a próxima sexta-feira (17). “As redes atuam em cerca de 40 cidades e poderiam atender aproximadamente 300 mil estudantes”, afirmou Rui.

O governo ainda negocia com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica a confecção de um cartão para os estudantes que não podem fazer as compras nas redes de supermercado. Ainda de acordo com o governador, as instituições financeiras estão solicitando prazo médio de 15 dias para a emissão do cartão. O Governo do Estado irá fornecer os dados do estudante com nome dos pais para que os  bancos possam abrir uma conta para o recebimento do vale-alimentação.

“Os estudantes que não podem ser atendidos pelas redes de supermercado vão ter que aguardar o cartão. Achamos o prazo do cartão muito longo, mas vamos fazer.  Pode ser que a situação se prolongue e precisemos dar outro tipo de auxílio”, pontuou Rui.

Projeto de lei aprovado
O Projeto de Lei que cria o Vale Alimentação Estudantil para dar auxílio para a alimentação aos estudantes da rede estadual de ensino foi aprovado por unanimidade pela Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) na tarde desta terça-feira (dia 14).

O projeto vai representar um investimento de R$ 44 milhões para o estado. As famílias dos estudantes já cadastradas no Bolsa Família receberão o auxílio extra para compensar a suspensão da merenda escolar enquanto durar a quarentena. “Agora, é fazer com que esse dinheiro chegue rápido na mão das famílias baianas”, disse o presidente da ALBA, deputado Nelson Leal (PP). O valor que cada família receberá ainda será definido.

Com a aprovação da Assembleia e posterior sanção do governador Rui Costa, o Executivo estadual fica autorizado a contratar a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil (BB) como agentes financeiros para operacionalização do projeto. As despesas do Vale Alimentação Estudantil correrão por conta do Fundo Estadual Erradicação da Pobreza (Funcep).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui