No mesmo dia em que Nelson Teich pediu demissão do Ministério da Saúde, o Brasil registrou novos 15.305 casos de covid-19. É o maior número de diagnósticos confirmados pelo país em um único dia, batendo o recorde de 13.944 infectados, divulgado na quinta-feira (14). Com o acréscimo, o total de contaminados subiu para 218.223. Os dados foram divulgados pelo governo nesta sexta-feira (15). 

De acordo com o balanço, o Brasil alcançou a marca de 14.817 mortes em decorrência do novo coronavírus. Foram 824 novos vítimas fatais notificadas nas últimas 24 horas. Porém, o Ministério afirma que a maior parte dos óbitos aconteceu em períodos anteriores, mas foi inscrita nos sistemas oficiais somente agora. Há ainda 2,3 mil falecimentos em investigação.

São considerados recuperados da doença 84.970 pacientes, o que representa 38,9% dos diagnósticos registrados. Outras 118.436 pessoas seguem em acompanhamento (54,3%).

Em relação aos casos confirmados, o aumento nestas 24 horas foi de 7,4%. Já entre as mortes, o crescimento representa 5,8%. A taxa de letalidade no Brasil está em 6,8%.

Estado mais atingido pela pandemia do coronavírus, São Paulo chegou ao total de 58.378 pessoas infectadas. Ceará é o segundo colocado, com 22.490, seguido do Rio de Janeiro (19.987), Amazonas (18.392) e Pernambuco (16.209).

Os cinco estados também lideram a lista de maior quantidade de óbitos, porém em ordem diferente: São Paulo (4.501), Rio de Janeiro (2.438), Ceará (1.476), Pernambuco (1.381) e Amazonas (1.331).