Casos estão em investigação e ainda não foram confirmados. SES possui uma rede de contatos, com canal específico para registros de casos suspeitos. Paraíba tem 5 casos suspeitos de síndrome associada à Covid-19 em crianças
G1/Reprodução
Pelo menos cinco casos suspeitos de síndrome multissistêmica inflamatória pediátrica (SMIP) estão sendo investigadas no estado, conforme informou o secretário executivo de saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, nesta segunda-feira (17). Os casos foram identificados após a Secretaria de Estado da Saúde (SES) entrar em contato com as unidades de terapia intensiva (UTIs) pediátricas de hospitais paraibanos.
A suspeita dos casos acende um alerta para o estado. “Chamar a atenção para que a Covid pode gerar casos de gravidade nas crianças. Por isso é importante a educação de crianças para a proteção delas com o uso de máscaras, lavagem das mãos e o distanciamento social”, ponderou o secretário.
Síndrome associada à Covid-19 tem três mortes entre crianças
Daniel disse que ainda não pode divulgar as idades dos pacientes, mas confirmou que todos são crianças e que não existem adolescentes com suspeita da síndrome na Paraíba até esta segunda. Ele também não informou em quais cidades os casos suspeitos estão em investigação.
Durante o monitoramento, são aplicados testes do tipo PCR para detecção do novo coronavírus, mesmo que os pacientes tenham sido submetidos aos testes rápidos. De acordo com o secretário, existe uma rede de contatos que incentivam que as unidades de saúde de toda a Paraíba notifiquem casos suspeitos para a Gerência Executiva de Gestão em Saúde, que possui um canal específico para os registros.
Saiba o que fazer se apresentar sintomas de contaminação na Paraíba
Curva de contágio: evolução de casos confirmados, mortes, gráficos e dados
Todos os sintomas da Covid-19 junto com vermelhidão na pele, aftas na boca e conjuntivite podem indicar a presença da síndrome multissistêmica, que se assemelha com a síndrome de kawasaki, conforme destacou o secretário. Daniel Beltrammi disse também que o quadro de saúde das crianças pode ser agravado com complicações nos rins e sistema nervoso central.
A recomendação da SES é de que se crianças ou adolescentes apresentarem os sintomas da síndrome, os pais ou responsáveis devem procurar o serviço de atendimento em saúde mais próximo.
A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou um alerta sobre a notificação de casos da síndrome registrada em crianças e adolescentes de até 19 anos, em vários países do mundo. A SIMP foi registrada pela primeira vez em abril deste ano na Inglaterra. Até o fim do mês de julho, 71 casos e três mortes foram confirmados no Brasil. Eles foram notificados nos estados do Ceará, Pará, Piauí e Rio de Janeiro.